Checklist de viagem: 12 itens para você não esquecer

 

Você planeja sua viagem internacional dos sonhos, prepara tudo, embarca e só quando chega ao destino você se dá conta de que não consegue carregar seu celular porque a tomada é diferente ou precisa de um remédio para gripe e não sabe como comprar. Imaginou a cena? Para ajudar os viajantes iniciantes ou distraídos, preparamos um checklist de viagem com 12 itens e algumas dicas do que você precisa pesquisar ou providenciar antes de viajar.

Imprevistos podem acontecer em qualquer viagem, mas muitos problemas podem ser minimizados ou até eliminados se nos preparamos bem e nos antecipamos a eles. Claro, quanto mais experiência adquirimos, mais bem preparados nos tornamos. Mas ao aprender com a experiência de outras pessoas podemos acelerar bastante esse processo e evitar alguns dos transtornos mais comuns em viagens.

 

1. Adaptador de tomada universal

Esse é um item essencial para quem viaja pelo mundo. Cada país adota um padrão de tomada diferente e, sem um adaptador, você poderá ter muita dor de cabeça para conseguir carregar seus eletrônicos. Nem todo hotel tem um para emprestar e, se você não levar o seu, terá que correr atrás de uma loja para comprar um.

Antes de viajar, procure saber o padrão de tomada dos países que você irá visitar e confira o tipo de adaptador necessário. Existem adaptadores específicos para alguns países, alguns mais completos e os chamados universais, que se adaptam a qualquer padrão de tomada.

Nós usamos esse adaptador universal da Clone que já nos acompanha há bastante tempo.

Se estiver viajando com aparelhos que não sejam bivolt, não esqueça também de conferir a voltagem do local que você vai visitar!


Quer saber um pouco mais sobre os padrões de tomada pelo mundo? Seguem alguns links que tratam desse assunto:

> Plugues de tomada. Conheça os modelos pelo mundo
> Quantos tipos de tomadas existem e por que há tantos diferentes?
> Electric Power Around the World


 

2. Carregadores, pilhas e baterias

Antes de viajar, separe todos os carregadores, pilhas e baterias que você precisará para os seus eletrônicos e confira se estão funcionando.

Dependendo do seu estilo e suas necessidades de viagem, vale também investir em baterias e pilhas extras para não ficar na mão no momento de gravar um vídeo ou bater aquela foto.

Eu e o David adoramos fotografar e fazer vídeos nas nossas viagens. Temos uma bateria extra para a nossa máquina fotográfica, sempre conferimos a carga dos nossos celulares antes de sair do hotel e levamos um carregador portátil caso seja necessário recarregá-los durante o passeio.

 

3. Notas fiscais de equipamentos eletrônicos

Leve sempre as notas fiscais de todos os equipamentos eletrônicos comprados no Brasil que estiverem viajando com você! Principalmente notebooks e máquinas fotográficas. Sem as notas fiscais na mão, você poderá ter problemas ao chegar no Brasil caso seja parado na alfândega, já que os fiscais podem considerar que você está trazendo equipamentos do exterior sem declaração.

Para evitar dor de cabeça ao retornar para o Brasil e não se incomodar com multas sem motivo, as notas fiscais são essenciais (principalmente no caso de equipamentos de última geração, que sempre chamam atenção).

Caso você tenha comprado produtos no exterior, lembre-se das cotas permitidas e, se ultrapassar o limite, realize os procedimentos solicitados pela alfândega para regularizar a entrada desses produtos no Brasil.


Nesse link do site Viaje na Viagem você encontra mais informações sobre as cotas e as regras alfandegárias.


 

4. Remédios e receitas médicas

Gripe, dor de cabeça, alergia, mal estar… Os riscos de você passar por qualquer situação dessas existem em toda a viagem e, dependendo do clima e do tipo de alimento que você está acostumado, são situações até bem comuns de acontecer. Imagine ter que procurar um remédio em um país totalmente estranho e em um idioma que você não conhece?

Levar do Brasil os remédios que você está acostumado podem salvar você em momentos críticos no exterior.

Se você toma remédios controlados ou que precisam de receita médica, leve todos os pedidos médicos com você caso tenha qualquer emergência ou perca seus remédios durante a viagem. Providencie sempre a quantidade necessária para o período e, caso tenha que levar uma quantidade alta, tenha o pedido médico para que possa justificá-la quando necessário.

 

5. Seguro de viagem

É aquela velha história: seguro a gente paga esperando não usar, mas não recomendamos viajar sem ele! Alguns países, inclusive, exigem que você tenha um seguro de viagem e podem solicitar que você o apresente antes de permitir a sua entrada.

Acredite, o seguro pode ser a melhor coisa do mundo no momento em que você passar por uma emergência no exterior.

Passeando uma vez em Buenos Aires com meus pais, minha mãe teve uma queda na rua e torceu o joelho. A queda não pareceu tão feia, mas o joelho inchou muito e ficou feio rapidinho. Como era uma viagem curta em um país vizinho, não lembramos do seguro! A nossa sorte foi o bom atendimento que tivemos no hotel e a facilidade no idioma (conseguimos nos virar bem no espanhol). Recebemos todas as orientações necessárias e tivemos que contar com o sistema público de saúde do país. Andamos de ambulância, fomos levadas até um hospital no meio da noite, aguardamos o atendimento na emergência, minha mãe passou por um raio-X para ver se estava tudo bem com o joelho, recebeu as receitas para os medicamentos e teve que ficar alguns dias sem caminhar.

Hoje eu e minha mãe brincamos que utilizamos todos os meios de transporte de Buenos Aires! Táxi, metrô, ônibus, barco, ambulância e até cadeira de rodas (só assim para continuar passeando sem prejudicar o joelho machucado)! Mas o fato é que tivemos muita sorte. Não foi um problema grave, o hotel nos deu todo o apoio, a ambulância veio nos buscar no hotel, o hospital estava vazio e o atendimento foi ótimo. Mas o seguro com certeza teria nos facilitado a vida e nos dado menos preocupação.

Então… Vai viajar para fora do Brasil? Seguro de viagem já!

 

6. Vacinas e certificado de vacinação internacional

Muitos países exigem algumas vacinas para permitir a entrada de visitantes e podem solicitar que você comprove que está imunizado contra certas doenças apresentando o certificado de vacinação internacional.

Pesquise com bastante antecedência as vacinas solicitadas pelos países que você pretende visitar para que tenha tempo de providenciá-las e também para que elas tenham o tempo de fazer efeito. Algumas referências indicam que o ideal é que as vacinas sejam tomadas de 6 a 8 semanas antes da viagem, mas vale sempre se informar com cuidado e com bastante antecedência sobre as regras de cada destino para que você possa se programar.

É importante também conferir que tipo de vacina você precisa tomar para se prevenir em países que tenham passado ou estejam enfrentando epidemias de doenças como, por exemplo, febre amarela (caso do Brasil).


Nesse link do site da ANVISA você pode consultar as vacinações exigidas por cada país, receber as orientações sobre como proceder e também ter mais informações sobre como emitir seu Certificado Internacional de Vacinação.


 

7. Cópias de todos os documentos

Faça cópias de todos os seus documentos de viagem: passaporte, carteira de motorista, cartões de embarque, reservas e endereços de hospedagem, número do seguro de viagem, entre outros. E guarde todas as cópias em um local diferente dos originais, assim você se previne caso tenha algum imprevisto com sua bolsa ou bagagem de mão e perca seus documentos.

Durante a viagem, guarde sempre os documentos importantes em cofres e só carregue o que for realmente necessário!

 

8. Cadeados para as malas

Os cadeados são úteis tanto para despachar as malas durante a viagem quanto para manter suas coisas em segurança nos locais de hospedagem. Você pode precisar deles.

Infelizmente há muitos relatos de roubos de pertences dentro de malas em aeroportos e também em hotéis. Imagine você com a mala cheia de lembranças e presentes de viagem e não encontrando as coisas assim que chega em casa? Conheço algumas pessoas que passaram por isso ao chegar no Brasil.

Algumas malas já vêm com cadeados embutidos, mas se você precisar de mais ou quiser ter cadeados sobressalentes, pode investir nos comuns, com chave ou com segredo, dependendo da necessidade. Para viajar aos EUA, o recomendado é o cadeado TSA, tipo de cadeado com um padrão que pode ser aberto pelas autoridades americanas nos casos de inspeção de bagagem. Se sua mala for selecionada pelas autoridades para inspeção e estiver fechada com um cadeado de outro padrão, ele será quebrado para que a inspeção seja feita e sua mala seguirá desprotegida pelo resto da viagem. Nunca passamos por uma situação desse tipo, mas já ouvimos relatos de pessoas que tiveram a bagagem inspecionada. Com o cadeado adequado, você só saberá dessa inspeção ao abrir sua mala, quando verá um recado deixado pelas autoridades americanas informando do procedimento.

 

9. Cartões de memória e/ou HDs

Se você gosta de registrar suas viagens em fotos e vídeos, você precisa de cartões de memória sobressalentes para a sua câmera. Além disso, é essencial você fazer uma cópia de segurança dos seus arquivos em seu notebook ou HD externo durante a viagem, assim você garante que suas recordações estarão em segurança.

Já pensou guardar todas as fotos em um cartão de memória só e perdê-lo no final da viagem? Temos amigos que tiveram suas bolsas roubadas com a máquina fotográfica e o cartão de memória com todas as fotos da viagem. Eu também já tive problemas com cartão de memória com defeito e tive que correr atrás de lojas para comprar um novo!

Prevenir é sempre a melhor solução. Ter cartões sobressalentes e fazer cópias de suas fotos e vídeos para outros dispositivos durante a viagem é a melhor opção.

A tristeza em ser roubado, perder ou estragar um objeto de valor é enorme, e a frustração por ver suas recordações indo embora junto é ainda maior.

 

10. Informações dos consulados

É o mesmo caso do seguro de viagem, você leva essas informações esperando não precisar delas! Mas ir para um país estranho é sempre uma aventura e nada melhor do que saber o telefone e onde fica o consulado caso você precise de um socorro em alguma situação de emergência.

 

11. Tradições, pontos de interesse e curiosidades do local

Antes de viajar, pesquise muito sobre as particularidades do país que está indo visitar, principalmente se sua viagem foi montada por conta própria e se você não contará com o apoio de agências e guias turísticos no local.

Pesquise sobre costumes, cultura, comida típica, pontos turísticos, clima, vestimentas, festas tradicionais, regiões perigosas, estatísticas de violência, entre outros.

Segurança é um ponto que você não deve nunca deixar de lado ao conhecer outros países, mesmo os mais visitados. Sair pelo mundo explorando os lugares, sem roteiro definido, é uma delícia! Mas é sempre bom ter aquele cuidado em saber por onde você está andando para não se colocar em risco.

Para sair do turismo tradicional com segurança, algo que sempre fazemos é pesquisar as curiosidades do local e o que os moradores costumam fazer. Sair dos pontos turísticos óbvios e se misturar com os nativos é uma excelente forma de conhecer as cidades de verdade! Os famosos mercados de pulgas, as feiras de antiguidades, festivais de música, teatro ao ar livre, encenações de fatos históricos, festas tradicionais… Pesquise, pois você pode estar nas localidades em épocas especiais e nem se dar conta disso!

Outra dica importante é sempre conferir os feriados locais. Às vezes você se programa para conhecer uma cidadezinha e visitar um museu, castelo ou apenas passear pelas lojas, mas pode se frustrar se seu dia de visita coincidir com um feriado e encontrar tudo fechado.

 

12. Lista de palavras e frases básicas do idioma

Busque conhecer algumas palavras e frases básicas do idioma do país que está indo visitar! Além de ser uma delicadeza com os nativos você dizer um “bom dia”, “por favor” ou “obrigado” no idioma deles, é uma forma de você conquistar a simpatia ao pedir uma informação e pode salvar você em momentos onde seja necessário buscar a saída de um lugar, um banheiro ou saber a diferença entre direita e esquerda.

Uma das lembranças mais fortes de viagem foi a minha primeira vez no exterior e a minha chegada em Berlim. As placas não tinham nada de familiar e o inglês da atendente no guichê de informações da estação de trem parecia ser de outro mundo! A Polônia também foi um choque de idioma e foi difícil saber como encontrar um banheiro. Considere que em alguns países o inglês não é tão comum entre os nativos quanto em outros.

Conhecer palavras e frases básicas são uma boa dica para essas situações. Tendo isso e um pouco de simpatia, você conseguirá se comunicar até com mímica! Acredite, depois de “quebrar o gelo”, você terá diálogos incríveis em idiomas totalmente desconhecidos sem nem saber como. = )

 
 

E você? Tem algum item para complementar esse checklist ou alguma história para contar? Compartilhe aqui com a gente! Share your trip.